26.1.08

Saúde, o parente pobre deste Governo




video

MFQ



2 comentários:

Anónimo disse...

Hoje almocei no restaurante Neutel na Marconi, quanto a mim, e passe a publicidade, o melhor restaurante de Vendas Novas em termos de qualidade/preço.

No regresso do almoço, cerca das 14.00 horas, cruzei-me, nas proximidades do acesso à auto-estrada, com dois autocarros da Câmara Municipal de Vendas Novas, um vermelho e outro azul, repletos de gente; a minha mulher, que me acompanhava e que percebe tanto de política como eu de um lagar de azeite, e perante a minha interrogação, mas para onde é que eles irão a esta hora, respondeu espontânea e ingenuamente: devem de ir para Évora ver o Sócrates…

Lá lhe disse que isso seria muito pouco provável, autocarros da câmara PCP carregados de gente para ver/apoiar o Sócrates, era coisa que não faria nenhum sentido.

Chegado a casa, ligo o computador, acedo ao Sapo e dou com esta notícia que irei transcrever, parcialmente, mas com o cuidado de não a adulterar:

Évora/Governo: Sócrates recebido com assobios junto do Arena d’Évora

Um grupo de sindicalistas e populares concentrou-se hoje junto à Arena d’Évora para protestar contra a política do governo, recebendo com assobios o primeiro-ministro, José Sócrates, à entrada para uma sessão do programa “Novas Oportunidades”.

O grupo com 150 a 200 pessoas, estava concentrado a alguns metros de distância da Arena d’Évora…

E mais adiante:

A concentração, anunciada pela União dos Sindicatos do Distrito de Évora (USDE), afecta à CGTP, contou também com representantes do Sindicato dos Professores da Zona Sul, pensionistas e com populares de Montemor-o-Novo e VENDAS NOVAS, em defesa dos serviços de urgências.

Perante a notícia que eu estava a ler, os autocarros da CMVN que eu vi passar em direcção a Évora, repletos de gente, e o comentário que a minha mulher me fez, fui, de imediato, assolado pela ideia de que uma coisa, muito provavelmente, teria a ver com a outra, isto é: os autocarros da CMVN com os quais me cruzei, muito provavelmente, dirigiam-se para Évora com um grupo de manifestantes.

Tudo isto me fez recuar mais de 4 décadas e trouxe-me à memória uma viagem em comboio especial, de ida e volta entre Vendas Novas e Lisboa, totalmente gratuita, e destinada a apoiar o primeiro-ministro, á época, numa manifestação no Terreiro do Paço; naturalmente que eu e outros amigos aproveitámos, de mão beijada, a benesse que nos estavam a dar, ir a Lisboa naquele tempo e ainda por cima à borla, não era nada de deitar fora.

Desembarcados, no Terreiro do Paço, do vapor proveniente do Barreiro, zarpámos em direcção à Praça Duque de Saldanha, e desde um filme no saudoso Monumental, a um “bitoque” no, ainda hoje existente, Toni dos Bifes, a umas voltas pelas sempre movimentadas, com a “fruta” disponível da época, ruas Luciano Cordeiro e Conde de Redondo, enfim foi um dia em cheio, muitíssimo bem passado, que deu para tudo, ou quase, e que terminou já noite, altura em que nos voltamos a encontrar com os companheiros de viagem que foram a Lisboa e pouco mais viram que a estátua do D. José a cavalo…

Existirão, porventura, alguns pontos comuns, para além de se tratar de manifestações a primeiros-ministros, entre o que se passou há mais de 40 anos em Lisboa e que se passou hoje em Évora e, amiudadas vezes, por todo o país?

Alguém me sabe dizer quais?

Mário Pinelas

bordadagua disse...

Não sei nem me interessa quais os motivos que levaram à "queda"/"saída" do governo do sr.Correia de Campos.

Mas fico feliz pois com tanta arrogancia que o sr respirava quando dava entrevistas para a imprensa,só por isso sabia que o dito sr. não chegaria ao fim do seu mandato.
Só tenho pena das benesses que o sr. ainda vai auferir por aquilo que fez enquanto governante ; a meu ver devia sim indemnizar o Estado pelos danos causados ao Povo anónimo ao destruir o pouco que tinhamos nos nossos Centros de Saúde.

Venha quem vier a seguir não há-de fazer pior!....