19.1.08

TGV passa por Vendas Novas




Está actuamente em fase de Estudo Prévio e de Consulta Pública o Estudo de Impacte Ambiental referente à Ligação Ferroviária de Alta Velocidade entre Lisboa e Madrid, no troço Lisboa-Montemor.

Este traçado é apresentado com várias soluções - dez no total. Em todas elas, o TGV vai passar aqui bem perto de nós. Aliás, mais perto do que eu julgava antes de ter visto os mapas.

Esta situação virá a ter, naturalmente, impactos negativos e positivos, especialmente do ponto de vista ambiental, tanto na fase de construção como depois durante a exploração. É, aliás, também por isso que este estudo tem obrigatoriamente um período de consulta pública prévia ao início de construção, no sentido de permitir que as populações interessadas tenham conhecimento e se manifestem sobre as eventuais consequências do projeto.

A partir de hoje, iremos abrir aqui no "Atribulações Locais" um espaço de divulgação e discussão sobre esta matéria. Para tal, serão temporariamente permitidos comentários anónimos para que todos possam, se o entenderem, manifestar as suas opiniões sem necessidade de estarem registados em qualquer plataforma de blogues.

Serão também publicados os mapas actualmente disponíveis, bem como outros aspectos julgados pertinentes. Desde já agradecemos aos amigos leitores que decidirem colaborar nesta discussão. Se o entenderem, poderão também enviar textos para publicação que se refiram a estas matérias, através do nosso email: atribulacoeslocais@gmail.com



3 comentários:

bordadagua disse...

Vendas Novas -cidade jardim!


Depois de ter lido o relatório tecnico que está no site da RAVE não consigo entender porque razão uma das areas de V.Novas com melhores perpectivas de uma boa qualidade de vida-a zona da Afeiteira-vai ser atravessada pelo TGV com cerca de 18 comboios por dia (passageiros e mercadorias).

O slogan de " Vendas Novas-cidade jardim ",no meu entender cairá por terra,principalmente para a população de V.Novas que resolveu viver numa zona sossegada e com uma excelente qualidade de vida,a zona dos foros da Afeiteira.

Na proxima reunião do dia 23-no Auditório Municipal,pelas 21H00,os vendasnovenses no meu entender devem comparecer para poder perguntar porque razão o traçado não contempla :

-Uma passagem a Norte,pelos terrenos de Sua Majestade-Casa Bragança;

-Uma passagem a Sul da Afeiteira,junto da A6;

Estranho muito estranho é também o prazo disponibilizado para a discussão pública ser tão curto?

Por Vendas Novas -cidade jardim!

Por Vendas Novas livre de agressoes de impacte ambiental!

Por Vendas Novas-cidade do desporto!

MÁRIO ANTÓNIO disse...

... / ...

Porque comprei um lote de terreno numa urbanização municipal, denominada inicialmente por Nova Afeiteira e posteriormente rebaptizada, com o corpo ainda quente, de bairro Lino de Carvalho, onde estou a construir uma casa e, pensava eu, poder finalmente encontrar o sossego de que tenho estado privado ao longo de mais de 35 anos de residência em Lisboa, assumo aqui publicamente que o meu comentário ainda que sendo susceptível ser considerado suspeito, é tão legítimo como qualquer outro.

De facto, jamais me passou pela cabeça que o TGV, ou o traçado do mesmo melhor dizendo, alguma vez pudesse passar a sul do concelho de Vendas Novas, eixo segundo o qual se tem registado o maior desenvolvimento habitacional de há alguns anos a esta parte; por outro lado, sendo os terrenos a norte, maioritariamente, de dois privilegiados proprietários, Estado e Fundação Casa de Bragança, e totalmente despovoados, situação que se mantém desde há muito, pergunto se um traçado a norte não faria muito mais sentido?

Os responsáveis pelo município irão ter agora uma oportunidade, soberana, para demonstrar as suas elevadas capacidades de negociação e de estabelecimento de consensos visando o bem estar das suas populações sob pena de Vendas Novas vir a perder o seu estatuto, talvez exagerado, de cidade jardim e poder vir a assumir um outro, mais em consonância com o que agora se perspectiva, de cidade ferroviária…

Estava já psicologicamente preparado para ver passar os aviões, agora para ver passar os comboios, não só não estou como muito dificilmente o estarei!

Ed disse...

Meus cumprimentos pelo blogue. Um abraço.