23.9.07

Computadores ao preço da chuva?




Foi lançado há pouco tempo pelo governo o programa "e.escola", que permite a aquisição de computadores portáteis por parte dos professores do ensino básico e secundário, dos alunos que num dos próximos 3 anos se inscreverem no 10º ano e dos adultos em formação nas Novas Oportunidades.


Será que vale a pena aproveitar esta oportunidade? Claro que sim. Mas também que não. Depende dos casos. Vou tentar deixar-vos a minha opinião sobre este assunto.



Os computadores em causa (um modelo da Toshiba e outro da Fujitsu Siemens), apresentam uma tecnologia relativamente actualizada. Posso dizer que têm hardware em tudo idêntico ao meu portátil, que comprei há 3 anos e que ainda funciona muito bem. Embora sejam modelos que não encontrei à venda numa pesquisa que hoje mesmo fiz em diversas lojas online nacionais. Apesar disso, consideremos para este efeito, que são bons computadores.

Juntamente com o portátil a adquirir, cada interessado obriga-se a um contrato de fidelização com a operadora em causa, para prestação do serviço de acesso à Internet por banda larga. Isto, mesmo que o adquirente não precise ou não queira tal serviço, seja qual for a sua razão. Tem mesmo que assinar esse contrato e pagar pelo serviço durante 36 meses (12 meses no caso dos formandos inscritos nas Novas Oportunidades). Este é, a meu ver, o grande erro deste programa. Não concordo com aqueles que dizem, sobre este aspecto em particular, que o programa está vocacionado para beneficiar o adquirente.

Na verdade, com base na minha experiência (já experimentei este serviço, embora por pouco tempo, e vi como funcionava) o tipo de serviço a que os adquirentes se vão fidelizar - Acesso Banda Larga Light não me parece de todo que esteja virado para utilizadores frequentes ou exigentes. No meu caso pessoal, decididamente optava por outras soluções. Não sei se isso é possível ao abrigo deste programa.

Posto isto, atendendo também aos valores/preços em causa, quem deverá aproveitar este programa? Em minha opinião, no caso dos Professores, poderão aproveitar todos aqueles que não sejam nem um pouco exigentes na utilização da Internet. Quanto aos alunos que se incluam no 1º escalão (Acção Social Escolar) e aos adultos em formação nas Novas Oportunidades, farão mal se não aproveitarem ou se, infelizmente, não puderem aproveitar as condições que lhes são propostas.

Quanto aos restantes - os alunos do 2º (?!) e 3º escalões e os restantes Professores, a minha opinião está em rota de colisão com aqueles que defendem que os mesmos podem sair beneficiados com a sua adesão a este "programa".

Mas tudo isto, como vêm, é a minha opinião.



2 comentários:

MFQ disse...

Entendo as suas reticências. Ainda assim, há um leque alargado de potenciais consumidores que não vão deixar de aproveitar a oportunidade.

MFQ

uma_leitora disse...

Esses portáteis já são um bocado antiquados mas servem; o acesso do ADSL Light TMN está sempre a cair e além do mais é muito lento; aqui na zona de Evora é uma frustração; é perguntar a quem já teve esse tarifário, se puderem mudem logo para outro.