9.12.07

Relatórios do LNEC




Sobre o "Novo Aeroporto de Lisboa", soube-se agora que a possível localização "em Alcochete" afinal é praticamente tão ou mais perto de Pegões e Canha que de Alcochete. E que o local estudado fica mesmo na Freguesia de Canha. Ou seja, fica mais perto de Vendas Novas do que se julgava. Se isso é bom ou mau, não sei, mas fez-me lembrar um velho ditado: "tem cuidado com o que desejas; pode ser que o consigas".

Soube-se também que esta informação tem por base Relatórios Parcelares elaborados pelo LNEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil, entidade nomeada pelo governo para realizar o estudo comparativo OTA-Alcochete. E que esses relatórios defendem existirem vantagens a vários níveis da opção Alcochete em relação à opção OTA, designadamente em relação à capacidade de navegação aérea, às acessibilidades e ao ordenamento do território mas, essencialmente, ao nível competitivo e económico.

Actualização:
LNEC nega existência de relatório favorável a Alcochete.



4 comentários:

Marco António disse...

Convenhamos que Vendas Novas, desde há muitos anos, teve sempre uma elevada propensão para a aeronáutica: eram as pistas, onde hoje se fazem demonstrações de aeromodelismo, do polígono visitadas, assiduamente, por algumas aeronaves que faziam, à época, as delícias da miudagem que, talvez influenciada por esses momentos de grande alegria vieram, mais tarde, a enveredar pela aviação tendo alguns deles feito todo o seu percurso profissional como pilotos de aviação militar ou comercial.

Curvo-me à memória de um amigo Vendasnovense falecido, em combate, em Angola quando tripulava um helicóptero e saúdo, efusivamente, um outro amigo Vendasnovense, felizmente ainda vivo, que tendo dado os melhores anos da sua vida ao serviço da sua Pátria, mereceu as mais altas condecorações militares pelos relevantes serviços prestados como piloto aviador em cenários de guerra no norte de Angola.

Para aligeirar ou pouco o tom mais carregado deste meu post, coisa pouco habitual em mim, gostaria de recordar aquilo que à época era alvo de grande chacota, provavelmente só mesmo os de faixas etárias mais avançadas se recordarão, e que era o "Avião do Bisca".

Alguém ainda se recorda dessa graçola? Quem sabe se a apetência pela aviação em Vendas Novas terá tido a sua génese no "Avião do Bisca"...

Por tudo o que aqui foi dito não será, seguramente, por mero acaso que Vendas Novas poderá vir a ter um aeroporto, Internacional de Lisboa, confinante com os limites do seu concelho prevalecendo, no entanto, a dúvida para que lado é que, num cenário de regionalização, o concelho de Vendas Novas se irá virar mas, eu acho, que ficaremos, eternamente, alentejanos, orgulhosamente alentejanos...

alentejodive disse...

Numa (eventual) futura alteração administrativa do território, não se sabe exactamete onde poderá ficar Vendas Novas.

É um daqueles casos de fronteira, que podem tornar difícil uma decisão sobre essa matéria. Historicamente, VN sempre tem pertencido ao Alentejo em termos administrativos. Mas isso, claro, poderá mudar.

Se o tal "Novo Aeroporto de Lisboa" acabar por ser construído onde ontem foi falado, acredito que tal possa vir a influenciar o futuro desenvolvimento nesta zona onde VN se insere. Ms isso, ao futuro pertence ...

Marco António disse...

Permita-me que me focalize num pequeno extracto retirado do seu comentário: “… acredito que tal possa vir a influenciar o futuro desenvolvimento nesta zona onde VN se insere”.

Ora muito bem, na presença de tais pressupostos, aeroporto no limite do concelho e novo ordenamento do território com a possibilidade, repito, com a possibilidade de uma integração administrativa a norte, isto é, ao pólo de maior desenvolvimento económico, social e cultural, a pergunta que eu deixo no ar é se o nosso orgulho em sermos Vendasnovenses, em ternos nascido e sermos alentejanos, será motivo bastante para que, renunciando a essa hipótese de nos ligarmos, administrativamente, a uma região mais rica e desenvolvida, sem perdermos de vista a nossa própria identidade, nos remetamos a uma situação, a fazer lembrar o passado, de orgulhosamente sós e mais pobres, mas alentejanos.

Recordo que à época em que eu nasci, todos os recém-nascidos em Vendas Novas eram, administrativamente, naturais do concelho de Montemor-o-Novo; a “emancipação” administrativa operada em 7 de Setembro de 1963 em nada alterou, em termos sentimentais, o nosso orgulho em sermos Vendasnovenses ainda que a partir daí, e graças a um mero acto administrativa, tivéssemos pleno direito a ostentar na nossa Cédula Pessoal ou no B.I., tendo como naturalidade a freguesia, e concelho, de Vendas Novas.

Talvez nessa data, e para além da “emancipação” verificada, tivéssemos dado o nosso primeiro grande passo na viragem a norte… Porquê recuar agora?

bordadagua disse...

E a Area Metropolitana da Grande Lisboa-Setúbal aqui tão perto......

O indicativo telefonico para Vendas Novas 265.....da Região de Setúbal,dirá alguma coisa?

E a globalização a nível de algumas empresas municipais?

Ontem e hoje era ver aquela gente simples de Canha a dizerem para o repórter da SIC que venha já o Aeroporto para a nossa Região.....

Mas é bom sonharmos...e pode ser que o Menino Jesus em 2008 nos deixe conhecer o famigerado relatório do novo aeroporto.