19.10.07

A sorte protege os audazes




Devo ser muito burro! Sou só eu que não percebo ou mais alguém me acompanha? Afinal, o que ganha Portugal com este "Novo Tratado Europeu"?


Não me parece que ganhe em capacidade de decisão, nem de influência sobre as decisões da União. Não ganha soberania, se calhar antes pelo contrário. Portugal, ao que transpareceu, vai ficar com menor representatividade no Parlamento Europeu. Vai também deixar de ter acesso à rotatividade na Presidência da União (esta será, assim, a sua última presidência). Portugal perde também (pelo que percebi) o direito de estar representado através de um Comissário português na Comissão Europeia.

Não cheguei a perceber em que temas é que o governo português defendeu os interesses nacionais. Pronto, já sei o que estão a pensar: "Olhe que Portugal também ganha se a UE ficar mais forte ...". Está certo, mas fico com a sensação de que nos faltou a ousadia e a audácia demonstradas por outros países. Falo da Polónia, do Reino Unido e da Itália, por exemplo.

Continuo a dizer que ainda não percebi o nosso papel no meio deste novo arranjo. Mas o problema deve ser meu. Digo eu.



11 comentários:

MFQ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MFQ disse...

Claro que o problema não é só seu. Eu também não consigo ver nada mas fiquei muito mais tranquilo ao ouvir hoje o João de Deus Pinheiro afirmar: ver e entender esta matéria só está mesmo ao alcance de alguns (poucos) iluminados… ou deputados, que é quase a mesma coisa. Por outras palavras, o alcance deste tratado e as consequências práticas da sua implementação, não é para nós percebermos, é para suportarmos com um sorriso agradecido.

Temos alguém que toma conta de nós. Isto equivale a dizer que o melhor mesmo é não pensarmos mais no assunto e confiar. Afinal de contas, confiar é mesmo a nossa especialidade, andamos nisto há tanto tempo e ainda não percebemos as regras deste jogo. Há que confiar nos nossos políticos. Se não cumprem o que prometem (agora, de repente, recordei-me da promessa de Sócrates sobre o referendo) é porque os nossos políticos chegaram à conclusão que assim é melhor para nós.

Bem vistas as coisas até os Engenheiros podem mudar de opinião. O importante é que desta vez, como noutras, ficámos a ganhar com a mudança. Ou será que estou enganado?

MFQ

Marco António disse...

Confesso que não faço a menor ideia da existência, ou não, de vantagens para Portugal resultantes deste acordo, também me custa admitir que o nosso país saia prejudicado, acordo que depois da assinatura em Dezembro próximo, ficará para a história conhecido como o Tratado de Lisboa; falou-se muito mais da grande incógnita do que poderia vir a acontecer, acordo ou não acordo entre os 27 países envolvidos com Polónia e Itália a poderem estragar a “festa”, do que, propriamente, das vantagens efectivas para Portugal que desse acordo pudessem resultar.

Não sabendo das vantagens, reais e efectivas, para Portugal, considero, no entanto, e idiologias políticas à parte, como altamente positivo para a diplomacia portuguesa o facto de ter liderado um processo negocial alargado a 27 países, donde resultou um acordo, difícil penso, entre todas as partes envolvidas; este “simples” facto, liderar e conseguir estabelecer consensos entre 27 países com interesses tão díspares e que conduziram ao resultado final que se pretendia, é, por si só, credor da minha admiração.

Admito que deste acordo a UE saia mais fortalecida, que os países recém-entrados venham a obter maiores dividendos, mas continuo a temer, a temer seriamente, que os Portugueses, a exemplo daquilo que fizeram num passado recente, não saibam aproveitar, convenientemente, todas as verdadeiras vantagens que a UE lhes dá, vantagens que não se confinam aos milhões e milhões de euros com que nos têm presenteado e que tão mal utilizados têm sido…

Marco António disse...

Peço desculpa, e permitam-me emendar o lapso:

- Onde esta escrito idiologias, deveria estar ideologias; o erro ortográfico, não alterando o sentido do texto, pode ferir a sensibilidade dos puristas da língua...

Obrigado

Metralhinha disse...

Continua, ou recupera, a fama de bom aluno.

bordadagua disse...

E o Tratado das Tordesilhas?

bordadagua disse...

Guerra do Ultramar.......Guerra Colonial.....A Guerra de África.....

Vamos lá a ver se nos entendemos,aquele programa dos Prós e Contras foi uma autentica barbaridade.

Flor disse...

"Porreiro, pá"

M.R.C.

bordadagua disse...

27.12.1703-Tratado de Methuen

11.4.1713-1º.Tratado de Utrecht

07.11.1712-Armstícios com a Espanha e a França-assinatura com Portugal

06.2.1715-2ºTratado de Utrecht

Vale a pena recordar.....

bordadagua disse...

1890-Ultimato Britânico

Portugal perdeu a sua pujança colonial em Africa por imposição dos " eternos aliados " da terra de Sua Majestade.

bordadagua disse...

A sorte protege os audazes!

Eu diria que os fortes ditam as regras do jogo.

Vladimir Putin alertou a Europa para que parem com a instalaçao Americana do chamado " escudo anti-míssil ".

E esta hein?.....como diria o falecido e grande jornalista F.Peça.