25.11.07

Rei Camacho, o afortunado.



E pronto, esta foi a 5.ª vitória consecutiva do Benfica que já tem o rival da segunda circular à considerável distância de seis pontos.

Quem não viu o jogo pode supor que o resultado traduz uma supremacia clara da equipa que conta com os melhores argumentos. Nada mais errado. O jogo foi mauzinho, muito por culpa do Benfica que, excepção feita ao jogo com o Boavista, continua a não convencer-me na era Camacho.

Finalmente sem lesionados e sem castigados, apenas com o Maxi (cansado) e o Rodriguez (com cólicas) fora dos convocados, o meu grau de exigência sobe exponencialmente. Ganhar é essencial mas de preferência com mérito e alguma classe.

O general Camacho não consegue tirar partido do potencial das tropas que tem à sua disposição. Na maior parte do tempo a equipa parece-me inibida, sem soluções técnicas e tácticas para criar desequilíbrios. Os dois últimos golos foram no mínimo estranhos e muito consentidos. No início fiquei intrigado mas satisfeito quando vi Pedro Roma no banco. Tinha razão. Com esta opção o técnico da Académica deu algum avanço que o Benfica não desperdiçou.

Aspectos positivos: o regresso personalizado de David Luíz; Binya, que está mais comedido sem deixar de ser útil à equipa; a velocidade de Di Maria em dois ou três lances iniciais que poderiam ter tido outro aproveitamento… e pouco mais. Aspectos negativos: Cardozo a cair demasiado para o lado direito, lento, sem garra e facilmente anulado; Luís Filipe mais uma vez trapalhão e complexado; dois trincos atropelando-se lado a lado; corredor direito descompensado; Nuno Gomes sem bola e Rui Costa com classe mas sem velocidade.

Digamos que o Benfica foi feliz. É bom que o astral continue em alta.

MFQ



3 comentários:

Marco António disse...

A já mal tratada embarcação Verde e Branca, encalhou, sem dó nem piedade, no agitado e muito traiçoeiro mar de Leixões…

Comandante e marinheiros tiveram grandes responsabilidades no desfecho a que se assistiu; as milhas que, semana após semana, têm vindo a perder para as embarcações que lideram a regata 2007/2008, são de molde a perceber que ela já estará perdida e de que as muitas milhas que ainda faltam para chegar à linha de meta se irão fazer à custa de grandes tormentas, não estando completamente isenta a hipótese de comandante e alguns marinheiros caírem, ou serem empurrados, pela borda fora…

Quanto à embarcação Vermelho e Branca que tendo Posídon, deus dos mares segundo a mitologia Grega, pelo seu lado, e de que maneira, lá conseguiu ultrapassar o braço de mar chamado Mondego… Mais do que o comandante Camacho e os seus comandados terá contribuído, decisivamente, para a vitória nesta regata, a inexperiência de mar e o enjoo de um tal marinheiro neófito que foi colocado no lugar de um velho lobo do mar e que dá pelo nome de Pedro Roma.

Um calcanhar que não de Aquiles mas de Luisão, ajudou a comprometer ainda mais a nova experiência de mar a que um tal marujo foi, incompreensivelmente, sujeito dadas as dificuldades que se adivinhavam.

bordadagua disse...

O SLB com o Camacho vai ser campeão nacional na epoca 2007/8 segundo dizem os astros do meu Almanaque.

BENFICA FC disse...

Neste momento, há duas equipas a lutar para o título e cinco (incluindo Benfica e Sporting) a lutar para o segundo lugar.
Para mim, o Sporting pôs-se fora da corrida, mas pode ainda lutar para o segundo lugar com um dos dois primeiros.

http://benfica-fc.com/slbenfica/